sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Poemeto do “Pode”

Pode me puxar pelos passadores do meu jeans,
Eu não meu me importo que os outros olhem.
Pode chegar atrás de mim e respirar no meu pescoço,
Eu adoro esses arrepios.
Pode dançar comigo com seu jeito desengonçado,
Eu sei que a gente encontra um jeito de se encaixar.
Pode agarrar meus cabelos e morder meu queixo,
Eu, inconscientemente, arranharei suas costas.
Pode roçar sua barba no meu rosto,
Eu não ligo mais pra minha alergia.
Pode se aproximar e me beijar,
Eu nunca direi não pra você!

3 comentários:

Jesus disse...

ME ENCANTÓ FELICIDADES

Clau disse...

Menina-poeta, Jesus posta no seu blog!
=O

Tô achando que aquela conversinha sua no msn era tudo ao contrário!

Deixa chegar dia 23 pra vc apanhar, deixa!

bjoca

Jan disse...

Ai que saudadeeeee

Quem é???? tá faltando e-mail nessa parada hein? pode escrevendo!

amo.