quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Controverso

É engraçado como nossos sentimentos podem ser confusos, tão confusos que chegam a ser desconhecidos até para aqueles que, como eu, já haviam pensado que tinham sentido um monte de coisa e que nada mais poderia surpreender.

Durante muitos anos sonhei em encontrar uma pessoa: um sonho de rapaz, bonito, educado, carinhoso, com um corpo “aceitável”*, inteligente, formado, mais velho, ético, atencioso, esportista, divertido, qualidades que são difíceis de enumerar.

Por alguns momentos cheguei a pensar que seria impossível conhecer pessoalmente esse homem, tanto que nunca imaginei que um encontro seria possível. E para minha surpresa maior, esse encontro aconteceu e minhas expectativas, mesmo que falhas e passageiras, foram testadas.

Um cumprimento tímido, mas ao mesmo tempo deslumbrado das duas partes, foi dado, constatamos que aquele que víamos era real, até toques mútuos foram necessários para termos tal certeza e aquela conversa téte à téte, por tanto tempo ensaiada foi colocada em prática. Foi como se nos conhecêssemos realmente ha anos: mesmas aspirações, mesma loucura sadia, mesma cumplicidade com nossos ideais e a mesma vontade de mudar o mundo.

Ele me conhecia tanto que parecia que tinha lido meu manual de instruções e decorado cada linha do “modo de usar”. Me levou a lugares que outros já me levaram e chegou a me falar as mesmas palavras, mas do jeito dele.

Sei que fiz tudo certo dessa vez, não fiz papel de homem: não busquei em lugar nenhum, não insisti no encontro, não forcei uma situação, não disse coisas a mais nem a menos, somente o necessário no intuito de ser inesquecível.

Mas mesmo assim ele teve que ir embora e eu tive que ficar com o perfume dele nos meus cabelos e com a missão de continuar na procura de um alguém como ele, mas que não queira que eu seja apenas inesquecível, mas sim única e para sempre.

*desculpem o adjetivo, mas não encontro outro a altura, pois não sei nem se o adjetivo é o adequado ou se “aceitável” é a palavra certa, muito menos se o aspecto físico realmente importa

5 comentários:

Juca disse...

Querida, mais doce do que amarga, Manu.

Imagino que esta pessoa também deva estar pensando que aqueles momentos foram inesquecíveis.

Imagino também que esta pessoa deva estar procurando urgentemente uma academia para elevar seu grau de avaliação de "aceitável" para "bom" o mais rápido possível. Hahahaha

E tem gente que diz que a crise não atingiu todos os setores...

Nell disse...

hehehe lendo isso e à propósito do "aceitável", lembrei do anúncio mais bem humorado que já vi. Foi, "coincidentemente", num mural qualquer da Letras. Este : 'Homem feio procura mulher bonita para, juntos, terem filhos mais ou menos.'
Qualquer um que não te ofereça no mínimo a garantia de que será "unica e para sempre", não deve andar nada bem da cabeça rs
Foi realmente um prazer conhecer e saber como é de fato a senhorita.
Beijão.

Ps. adorei seu gosto musical à toda prova hehe

Cristina Casagrande disse...

Puxa, Manu! Mas ó, defeitinhos sempre são bons, viu?

Eu posso dizer que encotrei o meu porto...ah, ele veio de mansinho e despretencioso e, quando vi, já estava dominada!:)

Bjosss

André Henriques disse...

Aceitável foi f..., hein? hehehehehehehe... só você!

Oras, essa coisa do tudo certo é que é complicado. Pessoas são complicadas demais e relacionamentos são complicações ao quadrado pelo menos.

Manu, sei que não é bem isso, mas pra gente você é única, pra sempre e inesquecível. Pelo menos pra mim vai, não vou colocar a voz do gurpo aqui... hehehehehehe

Lia Lee disse...

Muito fofo!
O texto é romântico, sonhador... Doce!
Nossa, muito gostoso mesmo... E a emoção tb... Toda idealização é linda!